A Elecnor adjudica uma nova concessão elétrica no Chile onde investirá 81 milhões de euros
Envolve a construção de uma subestação, uma linha de 40 km e a instalação de um banco de autotransformadoresO projeto, que dotará o Chile de maior segurança no transporte de energia, será desenvolvido por meio da sua participada Celeo Redes
24 de maio de 2016

Madri, 24 de maio de 2016.- A Elecnor adjudicou, por meio da sua filial Celeo Redes, o desenvolvimento do sistema de transmissão Nueva Diego de Almagro no Chile. O projeto implica a construção, operação e manutenção da instalação com um investimento previsto de 90 milhões de dólares (mais de 81 milhões de euros), que serão financiados tanto com capital próprio como com dívida a longo prazo.

Neste projeto o Chile dotará de maior segurança o transporte de energia a partir dos centros de geração aos pontos de consumo. Será desenvolvido por meio da Celeo Redes, sociedade da Elecnor, na qual também participa a holandesa APG, e foi adjudicado pelo Centro de Despacho Econômico de Carga del Sistema Interconectado Central (CDECSIC).

O projeto consiste na construção de uma nova subestação (Nueva Diego de Almagro) na província de Chañaral (Região de Atacama); uma linha de 40 km em 220 kV em duplo circuito e com uma capacidade de 600 MVA que conectará esta nova subestação e a subestação Cumbres; e a instalação de um banco de autotransformadores 750 MVA, 500/220 kV na subestação Cumbres. Sua implementação está prevista em 42 meses.

Esta adjudicação representa a consolidação da Elecnor no mercado de transmissão chileno, onde está desde 2009 a reforçar a eficiência, segurança e flexibilidade energética do país. Primeiro, com a adjudicação do projeto Ancoa-Alto Jahuel, em funcionamento atualmente; mais tarde, em 2012, com a adjudicação do projeto Charrúa-Ancoa; e, mais recentemente, em 2014, desenvolvendo o segundo circuito da linha Ancoa-Alto Jahuel.

O projeto vem reforçar, de igual modo, o posicionamento da Elecnor no mercado de concessões e fortalece a presença na América Latina, onde conta com 16 sociedades concessionárias de transmissão, 12 no Brasil e 4 no Chile, incluindo a correspondente a Nueva Diego Almagro, assim como 375 MW de geração eólica em operação, todos eles no Brasil.