A Elecnor construirá o primeiro parque eólico promovido pelo Kuwait por 22,4 milhões de euros
Kuwait forma parte de uma das zonas, a composta por Oriente Médio e o norte da África, de desenvolvimento preferente na atividade internacional da Elecnor
20 de abril de 2015

Madri, 20 de abril de 2015.- A Elecnor foi adjudicada com o contrato de construção do primeiro parque eólico do Kuwait por um valor de 22,4 milhões de euros. A instalação está localizada no Parque de Energia Renovável Shagaya.

Com capacidade para gerar 10 MW, o projeto será desenvolvido de forma conjunta pela Elecnor (60%) e a Alghanim International (40%), uma multinacional kuwaiti com ampla experiência em projetos de engenharia e construção.

O projeto inclui a engenharia, construção, instalação de 5 aerogeradores de 2 MW cada um deles e conexão a uma subestação de 132 kV, assim como a colocação em funcionamento do parque e sua posterior manutenção durante 6 anos.

Renováveis no Kuwait

O Parque de Energia Renovável Shagaya terá uma capacidade instalada total de 2.005 MW em 2030. Está no plano do Governo de produzir 15% de suas necessidades totais de energia através de fontes de energia renovável. É uma mega construção que está sendo realizada no norte do país, a quase 100 km da capital (Kuwait City), criada e promovida pelo Ministério de Eletricidade e Água e o Instituto para a Pesquisa Científica do Kuwait (KISR, pela sigla em inglês). 

Neste complexo, o parque eólico adjudicado a Elecnor está incluído na primeira fase de seu desenvolvimento, junto a uma usina termosolar e outra fotovoltaica. As três terão uma capacidade instalada conjunta de 70 MW. 

Cabe destacar que o Kuwait forma parte de uma zona, composta pelo Oriente Médio e o norte da África, de desenvolvimento preferente na atividade internacional da Elecnor, que em 2014 alcançou vendas no total de 40 países dos cinco continentes.

A Elecnor e a energia eólica

Em energia eólica, a Elecnor apresenta a dupla face de, por um lado promover, investir e realizar a gestão de seus próprios projetos, e por outro de construir instalações para terceiros. No primeiro caso através de sua filial especializada Enerfín, que explora mais de 1.000 MW na Espanha, Brasil e Canadá. Como construtora para terceiros, este contrato no Kuwait é unido ao recentemente conseguido na Jordânia, onde atualmente está construindo o segundo parque eólico promovido pelo país.