A Elecnor Deimos reforça o posicionamento como referência na indústria aeroespacial

Hoje inaugura seu Centro de Integração e Operações de Satélites de Puertollano e apresenta seu satélite DEIMOS-2

8 de outubro de 2013

Madri, 8 de outubro de 2013. A Elecnor Deimos, a área tecnológica da Elecnor, inaugurou hoje seu Centro de Integração e Operações de Satélites de Puertollano, um avançado complexo dedicado ao controle e integração de satélites, que se destaca como um dos projetos mais ambiciosos da indústria aeroespacial europeia. Neste âmbito, também apresentou o satélite DEIMOS-2, desenvolvido paralelamente com o Centro de Integração e Operações, e que é a segunda missão própria da Elecnor Deimos. O principal objetivo deste satélite de muito alta resolução, cujo lançamento está previsto para o primeiro semestre de 2014, consiste em melhorar o conhecimento dos fenômenos naturais e contribuir para prevenir e gerenciar possíveis crises de caráter natural ou humanitário.

O projeto implicará a criação de cerca de uma centena de empregos de alta qualificação e terá um investimento de 60 milhões de euros até o lançamento do satélite, valor que está previsto a aumentar até aos 100 milhões de euros ao longo da vida útil do mesmo, que está estimada em cerca de 7 anos.

“Na Elecnor Deimos temos uma ampla experiência no âmbito aeroespacial que tornou possível que hoje déssemos este passo importante. Dessa forma, o desenvolvimento do novo Centro de Integração e Operações de Satélites de Puertollano e do satélite DEIMOS-2 irá permitir que continuemos dando valor à nossa empresa e reforçar nosso posicionamento como um dos operadores da indústria europeia neste setor“, afirmou Miguel Belló, diretor-geral de Elecnor Deimos.

Como parte de sua extensa atividade, destacamos a participação da Elecnor Deimos na maioria dos programas espaciais da Agência Espacial Europeia (ESA) em suas diversas áreas (Lançadores, Exploração Planetária, Voos Tripulados, Observação da Terra, entre outros), além de ter experiência em missões espaciais completas.

Sua experiência neste campo motivou a Elecnor Deimos a empreender seu próprio programa de Observação da Terra, que se iniciou há quatro anos com o lançamento do DEIMOS-1, o primeiro satélite espanhol e europeu de capital integralmente privado. 

Tudo isso converte a Elecnor Deimos em uma referência mundial, que foi premiada recentemente como o “Melhor Novo Operador de Satélites 2013” no quadro da 5ª cúpula executiva do negócio de Observação da Terra, realizada em Paris.

Centro de Integração e Operações: na vanguarda do setor aeroespacial

O recém-inaugurado Centro de Integração e Operações de Satélites de Puertollano é um complexo inovador com o qual a Elecnor Deimos completa a presença em toda a cadeia de valor das missões espaciais. As instalações, que implicaram dois anos de desenvolvimento e onde se investiram cerca de 8 milhões de euros do investimento total, foram concebidas de modo a abordar três segmentos concretos: O Segmento de Voo, o Segmento de Terra e o Segmento Utilizador. 

O Segmento de Voo está centrado na integração de satélites, onde dispõe de uma Sala Limpa de 400 m2, concebida para manter os mais rigorosos parâmetros ambientais. É precisamente nesta Sala Limpa que foi realizada a integração do satélite DEIMOS-2, para o qual uma equipe multidisciplinar e especializada de engenheiros trabalha há mais de um ano nos diversos elementos que compõem o sistema satélite. Atualmente, nesta sala limpa é realizada a verificação de compatibilidade entre os diferentes segmentos, a preparação e instrumentação para testes ambientais, a verificação dos procedimentos de operação, assim como os testes finais de aceitação do satélite.

Por outro lado, o Segmento de Terra é o que pode ser considerado o cérebro da missão. Engloba o Centro de Controle de onde se realizará o acompanhamento, manipulação, calibração e correção do satélite assim que esteja em órbita. Este centro também ficará encarregado de receber e processar as imagens captadas pelo satélite através de um sofisticado software (gs4EO) desenvolvido pela Elecnor Deimos. O Segmento Terra inclui também uma estação terrestre com uma antena de 50 toneladas e 10,2 metros de diâmetro, situada em uma parcela anexa ao edifício, que será a encarregada da comunicação entre DEIMOS-2 e o Centro de Controle e permitirá receber dados não só de DEIMOS-2, mas também de outros satélites. 

Por último, o Segmento Utilizador proporciona produtos e serviços de observação da Terra, de forma que a Elecnor Deimos dê resposta aos pedidos dos clientes que solicitem imagens de alta precisão captadas pelo DEIMOS-2 para temas de inteligência ou análise de detalhe.

O Centro de Integração e Operações de Satélites da Elecnor Deimos contém as tecnologias mais avançadas, entre as quais se encontra um software de tratamento de imagem de desenvolvimento próprio, com o qual é capaz de processar e entregar a imagem às entidades que o solicitem em menos de duas horas desde o seu descarregamento, graças a um Centro de Processamento de Payload que tem 96 unidades centrais de processamento e 80 TB de capacidade de armazenamento inicial, com possibilidade de ampliação praticamente ilimitada.

DEIMOS-2: alta tecnologia ao serviço da sociedade

A Elecnor Deimos também fez a apresentação do DEIMOS-2, o segundo satélite de observação da Terra, que completará o serviço que já oferece atualmente o satélite DEIMOS-1. 

Este novo satélite, muito mais potente e avançado, produzirá imagens da Terra com uma resolução até 400 vezes maior do que a proporcionada pelo seu antecessor.

As principais aplicações do satélite DEIMOS-2 serão dirigidas fundamentalmente para os campos da agricultura, urbanismo, cartografia, segurança e inteligência, proteção civil e meio ambiente, entre outras.

O DEIMOS-2, que requereu um tempo de desenvolvimento de aproximadamente 3 anos e meio, pesa 300 kg, mede 2 x 1,5 m (com os painéis dobrados) e orbitará a mais de 600 Km de altura podendo chegar a cobrir uma superfície de mais de 2 km2 por dia. Seu instrumento principal é uma câmera pancromática e multiespectral que proporciona imagens de até 75 cm de resolução. Uma capacidade muito alta à qual se une uma grande agilidade para apontar sua grande câmera em todas as direções, conseguindo imagens de grande precisão e detalhe.