A Elecnor vai construir duas usinas solares fotovoltaicas na Bolívia por 65,4 milhões de euros
A usina solar de Uyuni será a maior central fotovoltaica da Bolívia com 60 MW de potência e uma superfície de 200 hectares
17 de novembro de 2016

Madri, 17 de novembro de 2016.- A Elecnor, em consórcio com a empresa boliviana Emias, vai construir duas usinas de energia solar fotovoltaica no sul da Bolívia com um valor de 70,5 milhões de dólares (65,4 milhões de euros ao câmbio atual). 

Este projeto, considerado o maior projeto fotovoltaico com contrato de fornecimento e construção adjudicado na Bolívia até a data, inclui duas usinas solares, sendo este o principal projeto de energia limpa do país. Por um lado, a usina de Uyuni, no Departamento de Potosí, com uma potência de 60 MW e uma superfície de 200 hectares. E, por outro, a usina de Yunchará, no Departamento de Tarija, que, com 5 MW de potência, abrange uma superfície de 15 hectares. 

As duas usinas foram adjudicadas pela empresa estatal ENDE Guaracachi, filial da Empresa Nacional de Eletricidade (ENDE), e têm o financiamento do Banco Central da Bolívia. 

Os prazos previstos de execução são de um ano para a usina fotovoltaica de Uyuni e de seis meses para a usina de Yunchará.

Reforço da presença na América Latina 

A adjudicação vem reforçar a presença da Elecnor na América Latina, com uma destacada implantação nos mercados como o Brasil, Chile ou México. No exercício de 2015, a empresa obteve vendas consolidadas de 1.881 milhões de euros, representando o mercado internacional 55% e o nacional 45%. Deste valor total de vendas, 667 milhões tiveram origem no conjunto da América.