A Presidente chilena inaugura a linha Ancoa-Alto Jahuel construída pela Elecnor
O primeiro circuito da linha de transmissão Ancoa-Alto Jahuel foi inaugurado com a presença das maiores autoridades do país – a presidente, Michelle Bachelet, e o ministro da energia, Máximo Pacheco –, o que ressalta a relevância do projeto dentro da política energética nacionalCom um investimento de 220 milhões de euros, este projeto proporcionará ao Sistema Interconectado Central (SIC) do Chile uma capacidade adicional de transmissão de 1.500 MVAEm 2016, está prevista a entrada em operação do segundo circuito que dotará o Sistema Interconectado Central de uma capacidade adicional de 1.500 MVA, somando um total de 3.000 MVA, equivalente a 40% da sua demanda máxima
22 de outubro de 2015

Madri, 22 de outubro de 2015. – A Elecnor, por meio de sua filial Celeo Redes, concluiu com sucesso o primeiro circuito da nova linha de transmissão Ancoa-Alto Jahuel de 2x500 kV, no valor de 220 milhões de euros (250 milhões de dólares) e com uma capacidade de transmissão de 1.500 MVA.

Essa primeira fase do projeto foi inaugurada ontem no Chile com a presença das maiores autoridades do país, entre as quais se destacam a presidente, Michelle Bachelet, e o ministro da energia, Máximo Pacheco, oque ressalta a relevância do projeto dentro da política energética nacional. 

A linha de transmissão Ancoa-Alto Jahuel, construída pela Elecnor, está sendo desenvolvida por meio da Celeo Redes, sociedade em que também participa a holandesa APG. O projeto foi adjudicado em 2009 por meio de licitação pública internacional, e representava a maior linha de transmissão troncal licitada até à data.  

A linha tem um comprimento de 255 km e conecta a subestação da Ancoa (no município de Colbún) à subestação de Alto Jahuel (no município de Buin), atravessando três regiões e 18 municípios. Durante a fase de construção foram criados mil empregos diretos e, atualmente, na fase de operação, foram criados outros 50 empregos diretos de caráter permanente e de perfil altamente qualificado.

Em 2016, está prevista a entrada em operação do segundo circuito da linha. Uma vez concluído todo o projeto, a nova linha de transmissão reforçará a eficiência, a segurança e a flexibilidade energética do país e proporcionará ao Sistema Interconectado Central uma capacidade adicional de 3.000 MVA, equivalente a 40% da sua demanda máxima.

“Esta linha é um exemplo do tipo de projeto que, como empresa, queremos impulsionar no Chile, a fim de proporcionar maior eficiência e flexibilidade ao sistema elétrico nacional. Atualmente, contamos com um plano de investimentos na América Latina para os próximos cinco anos com projetos no valor de um bilhão de euros, sendo que o Chile é um mercado estratégico para nós.”, comentou Manuel Sanz, gerente-geral da Celeo Redes Chile.