Buch enfatiza a importância das renováveis para a geração de um tecido industrial de alto valor tecnológico

Conselheiro da Economia, Indústria e Comércio da Generalitat Valenciana visita as instalações da Atersa

8 de maio de 2012

Destaca a capacidade do setor energético para criar riqueza e empregos

A Atersa é a empresa com maior capacidade de produção de módulos fotovoltaicos da Espanha


Valência, 8 de maio de 2012.- O conselheiro da Economia, Indústria e Comércio da Generalitat Valenciana, Máximo Buch, enfatizou “a importância do setor das energias renováveis e da eficiência energética para a geração de um tecido industrial de alto valor tecnológico”.

O conselheiro visitou a Atersa, empresa de fabricação de painéis solares, filial da Elecnor, onde ressaltou a aposta decidida que a Generalitat está realizando para aumentar o peso das fontes de energias renováveis na nossa estrutura energética. 

“Esta aposta nasce da convicção de que as energias renováveis constituem a única possibilidade de autoabastecimento em energia primária da Comunidade Valenciana e sua utilização implica a redução dos impactos no meio ambiente causados pelo processos de geração e transformação de energia”, manifestou ele.

“Porém, é preciso destacar que junto aos benefícios ambientais gerados pelas renováveis, sua implantação na Comunidade está propiciando a criação de um tecido industrial associado que está gerando riqueza e empregos para a Comunidade”, continuou.

Segundo Buch, “todos os setores implicados na cadeia de valor das energias renováveis e na eficiência energética são setores emergentes que possuem um grande componente de inovação tecnológica e uma capacidade evidente de geração de empregos”.

Atualmente, segundo os dados da AVEN, na Comunidade Valenciana, o setor das renováveis já emprega cerca de 5.000 pessoas, principalmente no setor da energia solar fotovoltaica, onde existem 350 empresas.

A Comunidade Valenciana conta com cinco unidades de fabricação

A Comunidade conta com um total de cinco unidades de fabricação de módulos fotovoltaicos e, em seu conjunto, a capacidade de produção destas empresas consiste em aproximadamente 30% do total nacional, resultando na criação de mais de 1.000 empregos.