90-6456

O Grupo Elecnor reestrutura suas fontes de financiamento de acordo com seu firme compromisso com a sustentabilidade

O Grupo Elecnor reestrutura suas fontes de financiamento de acordo com seu firme compromisso com a sustentabilidade

Através da novação do financiamento sindicalizado, que se torna sustentável ao atender as exigências dos Princípios de Empréstimos Vinculados à Sustentabilidade.

Madrid, 1 de outubro de 2021

O Grupo Elecnor reestruturou suas fontes de financiamento de longo prazo para que passem a ser verdes, apostando diretamente na concretização de objetivos ligados à agenda sustentável. Neste sentido, a empresa acaba de assinar a novação do Contrato de Empréstimo Sindicalizado que formalizou em 2014, e que já teve novações em 2015, 2016, 2017, 2018 e 2019, o que permitiu prorrogações sucessivas do prazo de vencimento e melhoria das condições.

A última novação prolonga o vencimento em pouco mais de dois anos, até setembro de 2026. Além disso, inclui uma amortização antecipada voluntária de 150 milhões de euros da Tranche de Empréstimo e um acréscimo de 100 milhões de euros da Tranche de Crédito. O financiamento terá assim um limite de 350 milhões de euros, divididos numa Tranche de Empréstimo de 50 milhões e uma Tranche de Crédito de 300 milhões.

O financiamento descrito cumpre os requisitos estabelecidos pelos “Sustainability Linked Loan Principles” (Princípios de Empréstimos Vinculados à Sustentabilidade), tendo sido classificado como sustentável.

A novação foi assinada pelo Santander (Agente), Caixabank, Abanca, BBVA, Kutxabank, Sabadell, Barclays, Société Générale, Unicaja, Crédit Agricole, Banco Cooperativo e Bankoa.

Colocações privadas, verdes e sustentáveis

Adicionalmente, a Elecnor assinou três colocações privadas de longo prazo no valor de 100 milhões de euros:

  • 50 milhões em 10 anos, em formato de empréstimo sustentável, coordenado pelo Banca March.
  • 20 milhões em 10 anos, o que, além disso, cumpre os princípios dos "Princípios de Empréstimo Verde", uma vez que os fundos são destinados a projetos classificados como verdes, subscritos pela ICO e com o Banco Sabadell atuando como coordenador.
  • 30 milhões em 14 anos, no formato de títulos sustentáveis emitidos no MARF, com rating do Grupo Elecnor (Investment Grade; BBB-) emitido pela Axesor e também colocado pelo Banco Sabadell.

Com toda esta reestruturação, o Grupo Elecnor conseguiu ampliar os vencimentos de seus financiamentos de longo prazo para vidas médias ponderadas de quase 10 anos, mantendo níveis de custo baixos.

A assessoria jurídica para todas as operações foi realizada pelo escritório de advocacia Cuatrecasas.

Por outro lado, a G-Advisory (G.Garrigues) é a Consultora de Sustentabilidade que emite os Relatórios destes financiamentos.

Grupo Elecnor e a sustentabilidade

O Grupo Elecnor desenvolveu uma Estratégia de Mudança Climática com uma série de objetivos a serem alcançados até 2030, de acordo com os ODS. Esta estratégia tem dois objetivos principais. Por um lado, reduzir as emissões de gases de efeito estufa (GEE) em 25% (o que a empresa chama de mitigação) e, por outro, adaptar o negócio de concessões do Grupo às mudanças do clima e identificar as oportunidades decorrentes do mesmo (adaptação).

Com esta operação de reestruturação da dívida, e conversão de seu financiamento de longo prazo (que passa a ser sustentável e/ou verde), o Grupo Elecnor reforça ainda mais seu firme compromisso com os mais elevados padrões de responsabilidade em matéria de sustentabilidade. Desta forma, a atividade do Grupo está fortemente voltada à promoção ativa da proteção do meio ambiente através das energias renováveis e da redução da pegada de carbono.

As novas linhas de financiamento contribuirão para o propósito de promover o ODS 13 “Ação contra a mudança global do clima” do Pacto Global das Nações Unidas, fomentando o desenvolvimento de projetos sustentáveis que respeitem o meio onde estão inseridos.