Elecnor aprova uma aliança estratégica com a empresa canadense UrtheCast para projetos conjuntos no setor aeroespacial
A operação inclui a venda, para a UrtheCast, dos dois satélites de observação da Terra da Elecnor, Deimos-1 e Deimos-2, assim como outros acordos complementares no montante conjunto de 74,2 milhões de euros
23 de junho de 2015

A Elecnor, por sua vez, torna-se sócio estratégico da UrtheCast dentro do programa “Constellation”, cujo objetivo é desenvolver a primeira constelação completamente integrada de satélites de observação da Terra, ópticos e de radar 

O acordo reforça os planos de crescimento da Elecnor Deimos para a construção de satélites e sua introdução em novos mercados do setor espacial 

Madri, 23 de junho de 2015.- A Elecnor, por intermédio de sua divisão tecnológica, Elecnor Deimos, aprovou uma aliança estratégica com a empresa canadense UrtheCast para projetos conjuntos no setor aeroespacial. A operação inclui a venda, para a UrtheCast, dos dois satélites de observação da Terra da Elecnor, Deimos-1 e Deimos-2, assim como outros acordos complementares no montante conjunto de 74,2 milhões de euros. 

O acordo firmado contempla alcançar a conclusão efetiva da operação antes de 21 de agosto deste ano. 

Por sua vez, a Elecnor Deimos e a UrtheCast assumiram um compromisso para trabalhar em conjunto em oportunidades de interesse comum. Assim, a Elecnor torna-se sócio estratégico da UrtheCast dentro do programa “Constellation”, cujo objetivo é desenvolver a primeira constelação completamente integrada de satélites de observação da Terra, óticos e de radar. Especificamente, a empresa espanhola contribuirá para as áreas de controle de missão, estações em Terra no comando e recebimento de dados, análise de missão e dinâmica de voo, como também para a integração da carga útil dos satélites radar na sala limpa do Centro de Integração e Operações de Satélites da Elecnor em Puertollano (Ciudad Real).

Plataforma de crescimento

A aliança reflete a excelência alcançada pela Elecnor Deimos, com presença consolidada em toda a cadeia de valor das missões espaciais: projeto, integração, validação, lançamento, operação e exploração comercial de satélites próprios de observação da Terra, assim como o desenvolvimento de sistemas espaciais de observação da Terra para terceiros.

Essas capacidades surgiram nos projetos Deimos-1 e Deimos-2. O acordo de aquisição por parte da UrtheCast valoriza esta aposta tecnológica e industrial da Elecnor e completa com êxito o percurso iniciado há 10 anos pelos dois satélites com seus primeiros estudos de engenharia, tornando único este modelo de negócio na indústria aeroespacial espanhola.   

O acordo reforça os planos de crescimento da Elecnor Deimos para a construção de satélites.  Graças ao impulso alcançado com esta operação, o Grupo está trabalhando também para sua introdução em novos mercados do setor espacial. 

Elecnor Deimos entre os líderes da indústria aeroespacial europeia

O Deimos-1, lançado ao espaço em julho de 2009, foi na época o primeiro satélite de iniciativa privada na Europa. Por sua vez, o Deimos-2, colocado em órbita em 19 de junho de 2014 depois de ser incorporado ao Centro de Integração e Controle de Satélites da Elecnor em Puertollano (Ciudad Real), é o único satélite espanhol de altíssima resolução e é considerado como um dos cinco melhores do mundo quanto ao parâmetro fundamental, que é a resolução espacial. Ambos compartilham suas gamas de aplicações: agricultura, meio ambiente, mudança climática, segurança, defesa, controle de fronteiras, desflorestamento, gestão de recursos hídricos e apoio à gestão das crises provocadas por desastres naturais.

Além da atividade de Observação da Terra por meio da operação de satélites, a Elecnor Deimos trabalha em outros três âmbitos: Sistemas de satélite, que engloba todos os trabalhos de construção e integração de sistemas completos; Aeroespacial e Defesa, com a participação em diversos programas da Agência Espacial Europeia (ESA), e Aeronáutica e Marítima, com ações em navegação aérea ou sistemas de informação ao público em grandes centros de comunicações. As quatro áreas fazem com que a Elecnor Deimos seja um dos grandes atores da indústria aeroespacial europeia.

A UrtheCast e o programa “Constellation” 

A UrtheCast é uma empresa tecnológica com sede em Vancouver que desenvolveu o primeiro sinal de vídeo ultra HD da Terra transmitido do espaço em cores. A empresa está listada na Bolsa de Valores de Toronto.

Junto a outras empresas de destaque do setor aeroespacial, a UrtheCast construiu, lançou, instalou e, em breve, colocará em operação comercial uma câmara de vídeo ultra HD, conhecida como Iris, na Estação Espacial Internacional (ISS). Esta câmara está ao lado de outra de resolução média (MRC), também desenvolvida pela UrtheCast, que entrou em operação em 2014. 

As duas câmaras proporcionarão imagens da Terra que poderão ser utilizadas em diversos campos, tais como agricultura, meio ambiente e ajuda humanitária, entre outros.

O programa ”Constellation” consiste no desenvolvimento de uma constelação mista de satélites de observação da Terra, óticos e de radar (SAR). Estes satélites voarão em formação em grupos de dois, um ótico e outro radar, proporcionando capacidades únicas de observação simultânea.

Este sistema terá também a capacidade de gerar vídeos de alta resolução no espaço.

O papel das alianças com sócios na Elecnor 

Por último, a operação se enquadra na atual estratégia da Elecnor de diversificação dos meios de financiamento a fim de impulsionar seus planos de expansão, com um papel de destaque para as alianças com sócios estratégicos. Neste sentido, em 2014, firmou um acordo com o grupo holandês APG para o desenvolvimento conjunto de novos projetos de transmissão de energia na América Latina. No âmbito deste acordo, a Celeo, empresa concessionária do Grupo, permitiu a entrada da APG no capital de sua filial, Celeo Redes, onde integra seus investimentos em projetos de transmissão. Por outro lado, a Enerfín, empresa eólica do Grupo, permitiu a entrada do fundo canadense Eolectric Club Limited Partnership, com uma participação de 49%, na empresa titular do complexo eólico de L’Érable, no estado canadense de Québec.