Elecnor construirá uma usina de ciclo combinado de 790 MW no México
24 de outubro de 2015

Madri, 26 de outubro de 2015.- A Elecnor, em consórcio com a Duro Felguera, ganhou a licitação convocada pela Comissão Federal de Eletricidade (CFE) do México para a construção da usina de ciclo combinado Empalme II, no Estado de Sonora. O valor total do projeto alcança 397 milhões de dólares (equivalente a cerca de 349,3 milhões de euros no câmbio atual), de acordo com as condições do contrato firmado na noite de sexta-feira, 23 de outubro, na Cidade do México. 

O projeto consiste no planejamento, engenharia, construção, instalação, testes e funcionamento da usina, que terá uma capacidade aproximada de 790 MW e utilizará gás natural como combustível. Contará com duas unidades turbogeradoras de gás, duas caldeiras de recuperação de calor com três níveis de pressão e uma turbina de vapor. O sistema de resfriamento considerado será de tipo aberto com água do mar. A usina se conectará a uma subestação de 400 kV.

Segundo a própria CFE, o propósito desta instalação é atender à crescente demanda de energia elétrica no noroeste do país.

Oito consórcios participaram da licitação, sendo que seis deles foram finalistas em uma faixa de preços de 8%. A licitação foi finalmente adjudicada à Elecnor e Duro Felguera, visto que a oferta obteve a maior pontuação após a avaliação técnica e econômica.

O prazo estimado para a execução é de 30 meses.

Presença no México

Atualmente, a Elecnor está construindo outra usina de ciclo combinado no México, adjudicada pela própria CFE. Trata-se de Agua Prieta II, também no Estado de Sonora. Sua capacidade garantida é de 394,1 MW. Outro projeto singular no país é a construção do gasoduto de Morelos, que permitirá transportar gás natural do Estado de Tlaxcala até o de Morelos, na zona central do México. 

A Elecnor está presente no México desde 1992 no mercado elétrico, no qual vem desenvolvendo, ao longo dos anos, capacidades globais como empresa EPC. Além disso, por intermédio de sua filial no México, vem ampliando sua gama de atividades em áreas como infraestruturas de gás e exploração em regime de concessão, grandes usinas de energia, setor de saúde, energias renováveis, telecomunicações e sistemas de informação, petróleo, e construção e instalações. 

Nesses quase 25 anos de presença no país, a Elecnor desenvolveu 65 subestações elétricas com um total de 7.000 MVA de potência instalada, 1.100 quilômetros de linhas de transmissão e cerca de 255 quilômetros de fibra ótica, além de ter construído ou reabilitado 6 hospitais e uma usina hidrelétrica.