Deimos-2, novo desafio no Programa Aeroespacial de Observação da Terra
Deimos-2, novo desafio no Programa Aeroespacial de Observação da Terra

A trajetória da  Elecnor Deimos  no setor aeroespacial tem, entre seus principais expoentes, seu próprio Programa de Observação da Terra, que começou em 2009 com a missão  Deimos-1  e que se reforça agora com duas novas iniciativas: o desenvolvimento da sua segunda missão espacial, o  Deimos-2, e a implantação do  Centro de Integração e Operações de Satélites de Puertollano  (Cidade Real). Tudo com um mesmo objetivo: colocar a alta tecnologia aeroespacial a serviço da sociedade e, mediante a observação da Terra, possibilitar um maior conhecimento dos fenômenos naturais e contribuir para prevenir e administrar possíveis crises de caráter natural ou humanitário. 

O desenvolvimento completo do Deimos-2 conta com um investimento total de 60 milhões de euros até o lançamento do satélite, previsto para o primeiro semestre de 2014.

As imagens captadas nesta missão se aplicarão principalmente nos âmbitos da agricultura, urbanismo, cartografia, segurança e inteligência, proteção civil e meio ambiente. Para isto, dotou-se o Deimos-2 com os últimos avanços tecnológicos, melhorando os serviços de seu antecessor. Depois de três anos e meio de desenvolvimento, o resultado é um satélite que, com um peso de 300 quilogramas e dimensões de 2x3 metros, orbitará a mais de 600 quilômetros de altura, cobrindo uma superfície de mais de 2 km2/dia. Seu instrumento principal é uma câmara pancromática e multiespectral que proporciona imagens de até 75 cm de resolução. Uma capacidade muito alta à qual se une uma grande agilidade para apontar sua grande câmara em todas as direções, obtendo imagens de grande precisão e detalhe. 

UM AVANÇADO COMPLEXO AEROESPACIAL EM PUERTOLLANO 

De forma paralela à missão Deimos-2, a Elecnor Deimos desenvolveu o Centro de Integração e Operações de Satélites de Puertollano. È um ambicioso complexo aeroespacial dedicado ao controle e à integração de satélites, que surge para administrar não apenas suas próprias missões, mas também missões de terceiros.  

As instalações, que levaram dois anos para o desenvolvimento e nas quais foram investidos cerca de 8 milhões de euros, abordam três segmentos: o Segmento de Vôo (Integração de Satélites), o Segmento de Terra (Centro de Controle) e o Segmento do Usuário (aplicativos para clientes). No avançado aspecto tecnológico, destaca-se seu equipamento de tratamento de imagem com um software de desenvolvimento próprio, capaz de processar e entregar a imagem às entidades que a solicitem em menos de duas horas a partir de seu download. 

O PRECEDENTE DO DEIMOS-1

O Programa de Observação da Terra Elecnor Deimos começou com o pioneiro Deimos-1, colocado em órbita em julho de 2009 a partir da base aeroespacial de Baikonur (Cazaquistão). O satélite marcou o início de um projeto totalmente inovador em seu âmbito, já que pela primeira vez na Espanha se usava o espaço para a gestão do meio ambiente, a agricultura de precisão e a luta contra a mudança climática, situando a Elecnor Deimos na vanguarda no setor aeroespacial.

Em seus quatro primeiros anos de vida (até os fim de 2013), seu balanço em grandes cifras era:

  • 21.452 órbitas e 943 milhões de km percorridos, mais de 6 vezes a distância entre a Terra e o Sol.
  • 18.640 imagens obtidas.
  • 1.936.000.000 km2 de superfície total coberta por seu arquivo de imagens, equivalentes a 13 vezes a superfície da Terra.

 

Galeria de imagens
Programas para monitorar o satélite Deimos-2
Programas para monitorar o satélite Deimos-2
Sátelite Deimos-2 na sala limpa de testes de Deimos Castilla La Mancha em Puertollano. Ciudad Real
Sátelite Deimos-2 na sala limpa de testes de Deimos Castilla La Mancha em Puertollano. Ciudad Real
Sátelite Deimos-2 na sala limpa de testes de Deimos Castilla La Mancha em Puertollano. Ciudad Real
Sátelite Deimos-2 na sala limpa de testes de Deimos Castilla La Mancha em Puertollano. Ciudad Real
Satélite Deimos-2 para observação da terra com resolução muito alta
Satélite Deimos-2 para observação da terra com resolução muito alta